HISTÓRIA DA NOSSA DENOMINAÇÃO

NOSSA HISTÓRIA

Quando o jovem Mário Roberto Lindstron, candidato ao Ministério Metodista veio para a Faculdade de Teologia em 1945, encontrou os estudantes Taisuke Sakuma e Kinzo Uchida, ambos da Igreja Metodista Livre, que realizavam seus cursos no mesmo local.

 

Kinzo foi o instrumento usado por Deus para pregar ao Seminarista Mario Roberto Lindstron que então, estava insatisfeito com sua vida espiritual, e sentia a necessidade de buscar a “experiência de santificação ou da santidade” doutrina esta, pregada pelo Metodismo Histórico.

 

Eles, juntamente com demais colegas, entregaram-se à busca de poder e santificação orando intensamente.

 

Foi então que Mário encontrou o que buscava ardentemente: o batismo no Espírito Santo.

 

Quanto experimentou a benção, profetizou a conversão de seu pai, que plenamente se cumpriu, e ouviu a voz do Senhor, que ordenou pregar o avivamento na Igreja.

O seminarista Mário na condição de ajudante das igrejas de Tucuruvi e Vila Mazzei, São Paulo/Capital; foi usado por Deus para anunciar a mensagem de despertamento, que foi recebida por muitos.

 

Tais irmãos avivados tiveram experiências tremendas com o Espírito Santo e se tornaram constantes na oração. Estes constituíam os “Grupos do Clamor”.

No ano de 1946, ingressaram na mesma Faculdade, os jovens Oswaldo Fuentes e Alídio Flora Agostinho.

 

Cada um deles tem sua própria história a contar, mas há o fato que, logo na chegada à Faculdade, ao irem juntos com o jovem Mário Roberto, orar a Deus, agradecendo pela boa viagem, o fogo de Deus se derramou profusamente em todos eles. Ficaram então, como o colega Mário, marcados como os do “grupo” e, assim foram unidos naquela mesma noite para a grande obra.

A 7 de Setembro desse mesmo ano houve o encontro dos irmãos do “grupo” com os seminaristas, no pátio da Escola de Profetas da Igreja Metodista, quando foi fixado o indelével propósito de continuar, sob qualquer circunstância, o movimento espiritual, a obra era sem dúvida de Deus.

 

Era o nascimento da Igreja Evangélica Avivamento Bíblico, que possui como fim entre outros o primordial que é “propagar o Evangelho de Jesus Cristo”. (1)

A preocupação básica do grupo consistia em satisfação, poder para testemunhar e reavivamento nas Igrejas.

 

Esses corajosos irmãos eram extremamente diligentes na oração, no estudo da Bíblia e na Evangelização.

 

À vista dos fatos já referidos, o grupo não podendo continuar no seio da Igreja Metodista do Brasil, passou a se reunir fora, inicialmente na casa do irmão Edmundo Branchini, e depois na humilde residência de um irmão chamado Lázaro Sansão, à Rua Floreal, n° 10, em Jaçana. Para isso ele separou uma pequena área coberta de sapé, anexa à sua casa, sendo escolhido o irmão Tertuliano Antunes, como primeiro líder do grupo, enquanto os seminaristas continuavam na Faculdade de Teologia.

Em 1947 o seminarista Mário Roberto Lindstron foi descontinuado em seus estudos na Faculdade e passou a liderar o grupo, que se tornava cada vez mais forte e unido.

 

Oswaldo e Alídio ainda permaneceram aquele ano na Faculdade, ao fim do qual deixaram de preencher o pedido para continuarem e, desse modo poderem ficar ao lado do grupo e cumprirem sua vocação divina.

Aceitando a imersão como forma bíblica de batismo, por mão do missionário Henry Jeffery, de saudosa memória, naquele tempo ligado à “Missionary Chapel of London” no dia 15 de Junho de 1947, nas águas do rio Cabuçu que divide o município da capital, de Guarulhos, nas proximidades de Vila Galvão, foram batizados 47 avivalistas, dentre os quais seu líder Mário Roberto Lindstron.

 

Dois meses depois, à 16 de agosto, o mesmo missionário presidiu a primeira Assembléia da Igreja, na qual foi organizada a diretoria, e também consagrou, além de do Pastor — o jovem Mário Roberto Lindstron — também presbíteros e diáconos, tendo sido então formado o que se chamou de Ministério da Igreja.

Uma dezena de ano mais tarde a Igreja de Jaçanã contava com doze congregações na Capital e duas no interior do Estado.

 

Nesse tempo, em dezembro de 1957, surgiu o primeiro do Jornal Avivamento “que é o órgão oficial do Movimento.”(3)

 

Data de 1948 o início do Avivamento Bíblico na Alta Sorocabana. Em 24 de novembro, em Presidente Bernardes, com um grupo de metodistas, alijados de sua grei por causa da experiência pentecostal, foi organizada a segunda Igreja.

 

Nesta data, pelo Pastor Mário Roberto Lindstron, foi consagrado para exercer o Ministério de Pastoral o jovem Alídio Flora Agostinho , o segundo pastor com apenas 20 anos de idade.

 

Não tardou deu-se, a 16 de janeiro do ano seguinte, o primeiro serviço batismal, tendo sido batizados vinte e seis irmãos. Neste mesmo ano, com os irmãos Virgílio Rosa, Rahel Ferreira Tangerino e sua tia Francisca Tangerino a obra se estabelecia em Presidente Prudente, a Capital da Alta Sorocabana.

O Movimento da Alta Sorocabana, cuja sede passou a ser Presidente Prudente, alcançou várias cidades da região, enquanto crescia e lançava raízes rumo a Mato Grosso e ao Paraná, de modo que, em dez anos, suas atividades, já abrangiam cerca de vinte localidades.

Em 1954 com o trabalho de evangelização através de uma tenda de lona ficou o Avivamento Bíblico estabelecido em Santo André, mais uma congregação do campo de Jaçanã.

 

O primeiro batismo se deu a 14 de novembro desse mesmo ano, sendo vinte e cinco o número de batizados.

 

Não tardou muito, à vista do desenvolvimento do trabalho, foi consagrado a 8 de Maio de 1955, em Jaçanã, para exercer o Ministério Pastoral o irmão Oswaldo Fuentes, então estudante de Direito, o qual assumiu a liderança do novo campo.

 

Esse trabalho logo se estenderia para Mauá, Ribeirão Pires e outras localidades.

Outras frentes de trabalho iam sendo abertas: Vila Clarice, Ipiranga (Vila Nair), Vila Carrão e Cruz das Almas (Freguesia do Ó), esta última resultante de um movimento de oração surgido da Igreja Metodista da avenida Itaberaba e estimulado pelo então Pastor Geraldino dos Santos.

 

Foram alcançadas as cidades de Guarulhos, Osasco e também São Caetano do Sul. Esta última formada por um grupo de Metodistas, liderados pelo Pastor Abraão de Oliveira, de saudosa memória; aquela resultando de intenso esforço do Evangelista João Beccatti, primeiro levantando uma congregação e depois, realizando uma campanha evangelística através de uma tenda de lona.

Sobre a influência do Movimento de Evangelização por meio das tendas de lona São Paulo (Jaçanã e Vila Nair) e Santo André se uniram financeiramente para estabelecerem uma Tenda de Salvação bem no centro da florescente cidade de Londrina, a “capital do norte do Paraná.” Por este tempo, 1954, já havia um pequeno grupo em Assaí, cidade pequena, não muito distante de Londrina. Para dirigir este grupo, tinha sido enviado o Pastor Domingos Roque de Pinho que fora consagrado ao Ministério Pastoral a 7 de Setembro de 1954, em Jaçanã.

O Pastor Mário Roberto fazia, com sucesso, na tenda de lona, a campanha de salvação e cura divina.

 

O primeiro batismo, fruto dessa empreitada evangelística se deu em 9 de outubro de 1955, quando foram batizados 73 pessoas.

 

Fixou-se então, o Pastor Domingos em Londrina, onde se estabeleceu a sede do Movimento no Norte do Paraná.

 

Depois da campanha em Londrina, a tenda foi armada em Cornélio Procópio e mais tarde em diversas outras cidades; também chegou a Curitiba. Destacou-se neste Ministério, o Evangelista Clovis Nabarreto Rebesco que se convertera em São Caetano do Sul.

 

Desse modo, no fim de 1959, no Estado do Paraná já havia mais de uma vintena de congregações, inclusive na Capital.

 

Ao mesmo tempo que a obra se desenvolvia em São Paulo e arredores, foram surgindo portas no interior do Estado, sendo deste tempo os trabalhos de Bragança Paulista, Piracaia, Taubaté e Itu.

 

Neste último tudo começou com então agora jubilado Pastor Paulo Paiva que então era membro do Igreja Presbiteriana do Brasil na referida cidade e não contente com a medida de sua experiência espiritual, passou a buscar mais intensamente o Senhor, do que resultou seu envolvimento com o Avivamento Bíblico e início do referido trabalho e logo mais tarde também, o trabalho de Jundiaí, que viria a estender-se para diversas cidades das proximidades.

 

Com a participação do Evangelista João Beccatti, que marcara presença efetiva no trabalho de Itu, surgia também, o Avivamento Bíblico na cidade de Araraquara.

 

Enquanto isto, tendo como palco a cidade de Presidente Bernardes no Oeste do Estado de São Paulo, surgia o trabalho do Avivamento Bíblico, tendo como seus pioneiros os irmãos César Teodoro Dias e Lino Roberto Lindstron.

 

Foi Enviado para lá o jovem Pastor Alídio Flora Agostinho , como primeiro pastor, o qual logo mais veio a fixar-se em Presidente Prudente, onde liderou o trabalho que se estendeu para Santo Anastácio, Mirante do Paranapanema, Piquerobí, Presidente Venceslau, Presidente Epitácio, e outras tantas localidades.

Do oeste paulista, o trabalho se estendeu para o Estado de Mato Grosso, alcançando a cidade de Fátima do Sul, Anaurilândia, Xavantina, Ponta Porã, Nova Andradina e Cassilândia, neste último local já havia um grupo bem sólido, que juntamente com seu líder, o veterano Pastor José Barbosa de Souza, agregaram-se ao Avivamento Bíblico. De Cassilândia o trabalho se fixando nas cidades de Itaurumã e Jataí.

 

A construção de Brasilia, nova capital do país trouxe muita gente de pontos bem diversos e com isso teve início do trabalho do Avivamento Bíblico no Planalto Central, onde após muitas lutas chegamos a um grupo bem numeroso em Taguatinga e um trabalho de grande vulto em Goiânia.

 

Infelizmente houve um grande revés, fazendo com que tudo isso, praticamente deixasse de existir, e do qual somente agora, estamos nos recuperando. Pastoreia (1994), em Brasília, o Pastor Noé Assis.

As raízes do Avivamento Bíblico no Estado da Bahia remontam aos idos de 1958, quando durante dois anos o Pastor Raimundo Ferreira da Silva desenvolveu um trabalho intenso de evangelização nas localidades de Pé de Serra e Tabuleiro de Santo Agostinho, no município de Riachão de Jacuipe, Feira de Santana, Tanquinho, e Salvador.

Em 1960 o Pastor Raimundo interrompeu a frequência de suas idas à Bahia.

 

Como aquele período ele tinha cultivado um relacionamento com o Pastor João Pedro de Oliveira, que tinha uma Igreja sob sua liderança na cidade de Feira de Santana, este relacionamento se estendeu aos líderes do Avivamento Bíblico, que o cultivaram por meio de correspondência e do Jornal Avivamento que lhe era enviado, em cada uma de suas edições.

 

Em 1964, alguns irmãos, entre eles o então, agora, Pastor Antônio Modesto, iniciaram contatos com o Avivamento Bíblico, através do então Pastor Jonas Ferreira da Cruz, marcando assim o início do trabalho em Belo Horizonte e na cidade vizinha de Sabará, trabalho este que depois de muitas lutas veio a ser consolidado em 1968, com a participação efetiva do Pastor José Carlos Galatti.

 

Em 1965, pela instrumentalização do então Pastor Aparecido de Souza um exemplar do Jornal Avivamento foi chegar às suas mãos por alguns irmãos de Santana do Livramento (RS), os quais tomaram interesse pelo Avivamento Bíblico, que assim, foi iniciado ali.

 

Nos fins de 1968 o Pastor José Carlos Galatti, juntamente com o jovem José Claudio Buarque (atual Pastor em Paranavaí — 1999), foram enviados para lá onde desenvolveram a atividades de consolidação daquele trabalho, que continua crescendo e se espalhando por todo aquele importante Estado da Federação.

 

A expansão do trabalho no Oeste Paranaense e Sudeste de Mato Grosso penetrou em pontos diversos do Paraguai, marcando a presença do Avivamento Bíblico naquele país. Hoje, 1999, pastoreia um trabalho com muita luta, o Pastor Walter Cono Plada.

 

De igual modo, o trabalho de Santana do Livramento (RS), estendeu-se para o Uruguai, avançando até Montevidéu.

A restruturação administrativa do movimento havida em 1972 possibilitou ao Departamento Geral de Evangelismo e Missões (dividido em Assessoria de Missões Nacionais e Assessoria de Missões Transculturais) desenvolver uma atividade de fortalecimento junto aos trabalhos já existentes, porém carentes de maior dinamização, do que destacamos, Araraquara ( SP ), Campo Grande ( MS ) e jataí, Goiás, entre outros.

 

Sob a égide do Departamento Geral de Evangelismo e Missões (DGEM) o movimento foi levado a diversas localidades: Exemplo: Itumbiara e Rio Verde, em Goiás, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto, em São Paulo onde temos pujantes Igrejas que se espalham para as demais cidades próximas.

 

Com os deslocamento de muitas famílias para Rondônia, surgiu o primeiro grupo do Avivamento Bíblico, na Vila de Rondônia, atualmente Jí-Paraná. Vendo as perspectivas de crescimento, o DGEM enviou para lá o Pastor Eurides Rodrigues que se fixou na cidade de Cacoal, onde liderou o trabalho, que agora se estende a, praticamente, todos os principais pontos daquele próspero Estado, e faz-se presente, ainda que simbolicamente, no Estado do Acre.

 

Há um pequeno, porém muito persistente grupo de avivalistas em Imperatriz ( MA ) iniciado através de irmãos que foram do Paraná para aquela cidade. Há igualmente em Gapela (SE) outro grupo iniciando sob semelhante condições, o qual desde seu começo é estimulado pelos pastores José Barbosa de Souza e Raimundo Ferreira da Silva.

 

Em 1981 o DGEM enviou uma equipe à Bahia para desenvolver um projeto de dinamização de trabalho, sendo armada uma tenda de lona em um bairro de Feira de Santana e mais tarde foi deslocada para a cidade de Alagoinhas, do que tem resultado um desempenho mui considerável do trabalho em toda aquela área.

 

Além do trabalho da Bahia, que se estende por várias localidades, há o trabalho em Baturité, e outras cidades próximas no Estado do Ceará, Natal, Rio Grande do Norte, e, Campina Grande, na Paraíba.

 

O Pastor Paulo Oliveira Santos tem estabelecido o trabalho em Catolé do Rocha (PB). O referido pastor batizou no dia 28 de Junho de 1992 vinte e um novos irmãos.

 

O Avivamento Bíblico também se encontra estabelecido na cidade do Rio de Janeiro ( RJ ) desde meados de 1990, contando com cerca de 68 membros e dois pontos de pregação.

 

Com os marcos fincados nos já referidos países vizinhos, à época foram tomada as providência quanto à documentação que agora está facilitando a nova fase de desenvolvimento que ocorre no trabalho do Uruguay, que sob a liderança eficiente do Pastor Alejandro Rodrygues cresce a um ritmo muito bom, penetrando muitas localidades.

 

O Pastor Adelcindo Israel da Silva e sua esposa Elérica de Souza estabeleceram o Avivamento Bíblico em Braga, Portugal. O salão de cultos fica à Rua Nova da Estação 33 a 35, no Bairro Maximinos, uma rua bem central. Uma faixa com os dizeres “Comunidade Avivamento Bíblico” identifica o templo. “O primeiro batismo do Avivamento Bíblico na Europa, foi em Braga — Portugal, em 26 de Abril de 1992.”( 4 ). O batismo foi filmado pela televisão Portuguesa (RTP) e anunciado no “Correio do Minho” jornal da região. O Pastor Israel juntamente com o Pastor Alídio Flora Agostinho batizaram trinta pessoas: dez ciganos, um menino de 10 anos, uma senhora angolana, entre outros.

1000

Igrejas no mundo

50

nações alcançadas

76000

membros ativos

70

anos de história

Seja um abençoador!

E isto afirmo: aquele que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria 2 Corintios 9.6-7

LOCALIZAÇÃO

Zap da Igreja (43) 3020-8008

Rua Antônio Rodrigues Arzão, 827

Jardim Reviera – Cambé - Pr.

CEP: 86187-060

CONECTE-SE
  • Grey Facebook Icon

© 2017 por Agência Web Londrina - www.agenciaweblondrina.com.br